Ir para o conteúdo

Exoneração, Demissão e Dispensa

A exoneração é o ato pelo qual o funcionário deixa de prover um cargo público e pode ocorrer a pedido ou a critério da Administração nos casos previstos em lei (L.C. 180/78 - Art. 58, I, § 1º, 1, 2 e 3).

O funcionário/servidor deverá aguardar em exercício a concessão da exoneração/dispensa, até o máximo de 15 dias a contar da apresentação do requerimento (L.C. 236/80).

Não havendo prejuízo para o serviço público, a permanência em exercício, poderá ser dispensada (L.C. 236/80).

A demissão é aplicada como penalidade e poderá ocorrer nos casos de abandono de cargo, procedimeno irregular ou ineficiência no serviço. A demissão também poderá se dar a bem do serviço público nos casos previstos em lei (C.F./88 - Art. 41, § 1º, III, redação dada pela E.C. nº 19/98; L.C. 180/78 - Art. 58, II, § 2º; L. 10.261/68 - Arts. 63, 256, 257, 260, I).

A dispensa é o ato que o servidor deixará de ocupar uma função-atividade e ocorre a pedido ou a critério da administração (L.C. 180/78 - Art. 59, § 1º).

A pena de dispensa é aplicada nos casos de abandono da função-atividade (ausência injustificada por mais de 15 (quinze) dias seguidos) ou de faltas sem causa justificável por mais de 30 (trinta) dias intercalados durante o ano (L. 500/74 - Art. 36).

A dispensa de caráter disciplinar será sempre motivada e a dispensa a bem do serviço público será aplicada nos casos em que se aplica ao funcionário a demissão agravada (L.C. 180/78 - Art. 59, § 3º; L. 500/74 - Art. 35, §§1º e 2º).

 

 

Obs: O contéudo deste manual não substitui a publicação original da legislação, tendo caráter meramente informativo.

Voltar